Workshop de priorização dos problemas de transporte em Teresina

Ocorrido de forma remota, no dia 3 de agosto de 2020, o workshop trouxe, como dinâmica, a apresentação de um formulário aos participantes, com os principais problemas que o Sistema de Transporte Público de Teresina enfrenta.

Depois de identificados os problemas, iniciou-se, em seguida, uma fase de diagnóstico. Foram elencados três grupos de problemas: Qualitativo, Análise e Planejamento, e Operação onde os participantes, de acordo com a sua opinião, classificaram esses problemas do mais ao menos importante.

As respostas foram obtidas através de um questionário online (MS Forms),com entidades e órgãos que tiveram mais de um representante presente no evento, elegeram um membro para apresentar o ranking. Ao final do tempo estipulado, 23 participantes foram selecionados e todos os dados foram tabulados de uma única forma, assim, foi possível classificar os problemas sem distinção de instituição ou órgão.

Embora fosse possível identificar qual problema ocupou o primeiro lugar em cada grupo, no ranking também foram considerados aqueles problemas que foram votados em segundo, terceiro, e assim por diante. Dessa forma, pode acontecer do Problema A ter sido classificado em primeiro lugar por mais pessoas do que o Problema B, mas a recorrência do Problema B em segundo e terceiro ter sido muito maior, assim esse problema acaba pontuando mais e alcançando uma melhor posição do que o Problema A.

Devido a sua natureza, o grupo de problemas Qualitativos tiveram como três principais problemas, em ordem de hierarquia: Falta de segurança dos ônibus, estações e nas redondezas das estações e paradas, baixo sistema de pontualidade e longo tempo de viagem, e falta de conforto.

O grupo de problemas de Análise e Planejamento apresentou, como principais problemas: a ausência ou inconsistência de informações para gestores e usuários, falta de indicações/métricas para processo de tomada de decisão e a falta de integração entre o sistema de transporte e intermodalidade.

Por fim, os três principais problemas elencados do grupo de Operação foram: superlotação nos veículos, baixa atratividade nos serviços e baixa performance de sistema segundo indicadores de transporte. Dessa maneira, a fase inicial do projeto pode compreender os cenários sob a ótica dos envolvidos e, assim, dar prosseguimento às demais fases. O evento contou com os principais atores do sistema de transporte, entre eles: Adriano Barreto (DTP STRANS), Aécio Matos (Agenda Teresina 2030), Ângela Araújo (Gerente de Projetos SEMPLAN), Daniely Votto (SYSTRA) e Ricardo Colares (Unifor).

Compartilhe:

Últimas Notícias