Urban Hack

A Prefeitura de Teresina, em parceria com a AFD e Systra, realizará, de 20 a 22 de setembro, no Palácio da Cidade, o Urban Hack, uma estratégia para testar os três projetos selecionados no Desafio #MoveTeresina. Desta vez, focado numa ação de Urbanismo Tático.

Para participar acesse o link https://www.eventbrite.com.br/e/urban-hack-teresina-2030-tickets-169496367197?ref=estw , a inscrição é gratuita e vai até 15 setembro.


O que é Urbanismo Tático?

Esse termo se refere a um movimento no qual os espaços públicos são repensados. Neles, ocorrem intervenções com a finalidade de aproximar as pessoas do espaço e resolver problemas locais. Assim, é possível determinar que tipo de alteração esses lugares necessitam para que se tornem úteis e melhores. Além disso, as pessoas são incentivadas a viverem mais em comunidade, em um ambiente para todos. (Fonte: https://finger.ind.br/blog/urbanismo-tatico/).

O URBANHACK

A ação deverá englobar o tema dos 3 projetos selecionados do Desafio #MoveTeresina.
O evento será realizado no período de 20 a 22 de setembro e contará com ciclo de palestras e discussões sobre mobilidade urbana e Urbanismo na prática.
O público-alvo são estudantes de áreas como Arquitetura e Urbanismo, Comunicação Social, Geografia, Design e áreas correlatas.


Endereço: Prefeitura de Teresina, Palácio da Cidade, 860, Praça Marechal Deodoro, Centro


Data: 20 a 22 de Setembro

Inscrições: https://www.eventbrite.com.br/e/urban-hack-teresina-2030-tickets-169496367197?ref=estw

Reunião viabiliza parceria da prefeitura de Teresina com AFD para contrato de R$ 234 milhões

O termo de cooperação para a viabilização do Observatório do Transporte de Teresina, foi assinado nesta segunda feira (8) no Palácio da Cidade, pelo prefeito Dr. Pessoa e com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD).

Através do uso de tecnologias inovadoras por meio de blockchain, o Observatório do Transporte de Teresina tem como objetivo trazer soluções para o transporte público.

“Em parceria com os franceses, vamos fazer como Juscelino Kubitscheck: em 4 anos vamos fazer o que faltou em 40”. Destacou Dr. Pessoa.

O Cônsul Geral da França no Nordeste, Hugues Fantou, confirmou a projeção feita por Pessoa. Ele destacou que além de transportes, o projeto prevê ações contra alagamentos e obras na cidade.

Fantou ressaltou que a Agência tem condições de flexibilizar ou aumentar a operação a fim de cobrir os investimentos necessários.

O valor da operação de crédito será de R$ 234 milhões de reais.

foto: Cidade Verde

No decorrer do dia, houve também a reunião “Go No Go”, que contou com a participação das empresas parceiras no projeto (Systra e UNIFOR), e com a equipe do projeto “Teresina 2030”.

No encontro foram sanadas dúvidas sobre os próximos passos do Observatório e sobre o inicio do Open Innovation, evento que irá contar com diversos atores para desenvolvimento de ferramentas, que vão ajudar a optimizar o transporte público.

O Observatório do Transporte de Teresina, faz parte do Projeto de Desenvolvimento Integrado Teresina 2030 que prevê ações para áreas como saneamento básico, mobilidade urbana, requalificação habitação, equipamentos para inovação, arborização e eficiência energética.

Os recursos devem ser investidos em ações integradas tanto na zona urbana quanto na rural.

Reunião traz interação e novas ideias para o projeto do Observatório do Transporte de Teresina.

Realizada de forma online, a reunião que aconteceu no dia 3 de dezembro, teve como objetivo incluir representantes dos órgãos de transporte público no projeto do Observatório do Transporte, esclarecendo dúvidas, e assim, promovendo uma maior integração desses atores no projeto.

Segundo Cínthia Bartz, Coordenadora da Agenda 2030, “É importante que eles participem para que se possa de fato ter uma solução aplicável e efetiva”.

A reunião contou com colaboradores dos setores públicos (STRANS, SMPM, SEPLAM), das empresas de operação do projeto (Transcol, Consórcio Urbanus, Consórcio Poty, SETUT e SITT) e usuários (SINTETRO, ASUPATUTE, ASCAMTE e ACEP). Ao todo, foram 18 participantes, são eles: Vinícius Rufino, Jean Sousa, Williams Capelo, Francisco Bezerra, Rafael, Marcelino, Ana Patrícia, Carol, Suziane, Adriano, Ricardo, Marjorie, Weslley, Cíntia, Ajury Dias, Paulo Lima, Francisca e Adailton Pacheco.

Segundo Jean Souza, representante da Consórcio Poty, o projeto será impulsionado pela abordagem de Inovação Aberta: “É um projeto com uma proposta inovadora aos moldes que Teresina possui, e o conceito de inovação aberta, por se tratar de uma troca de ideias e teorias e como aplicá-las, será um verdadeiro fator de alavancagem para o objetivo proposto.”

O início de tudo: a assinatura de cooperação

O dia 03 de abril de 2019 marcou o nascimento do Observatório do Transporte de Teresina. Tudo começou com a Assinatura do Termo de Cooperação de longo prazo que, consolidando a parceria entre a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) e a Prefeitura de Teresina, deu-se o principal passo para o início de um projeto que tem por objetivo aproximar a sociedade de processos de tomada de decisão na gestão pública. Este projeto propõe a criação de um comitê e, como diferencial, o uso da tecnologia blockchain para promover a transparência da gestão e aumentar a eficiência da operação do transporte público de Teresina.

Gabriela Uchôa, coordenadora da Agenda Teresina 2030, destacou, na ocasião, a contribuição do projeto para resolver os gargalos através de tecnologia, do incentivo a participação social e criando indicadores do transporte público.

O projeto tem financiamento externo da ordem de 500 mil euros e foi um dos 16 projetos aprovados na América Latina e um dos 2 únicos do Brasil. Aqui, apenas a cidade de Santos, em São Paulo, também foi agraciada.

Estiveram presentes na reunião o Prefeito Firmino Filho; Gabriela Uchôa, coordenadora da Agenda Teresina 2030, Phillipe Balduin, Diretor Geral Adjunto da AFD, entre outros.

Plano Diretor de Transporte e Mobilidade Urbana de Teresina

Com foco no desenvolvimento sustentável, o Plano Diretor de Transporte anunciado pela Prefeitura de Teresina é um instrumento de consolidação de decisões sobre transportes do município. As decisões incluem diretrizes para a organização e implantação da infraestrutura e dos serviços de transporte urbano, de acordo com objetivos pressupostos essenciais. 

O plano visa o conforto na locomoção dos moradores, priorizando a sustentabilidade nas questões ambientais, sociais e econômicas, como afirma Ricardo Freitas, assessor técnico da Strans (Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito).  

A execução do plano foi dividida em três partes: o diagnóstico, que é a primeira fase, consiste na realização de pesquisas relacionadas ao tráfego e contagem de veículos, a segunda etapa é a de simulação técnica, que avalia o tráfego de uma determinada área por um longo tempo, e a última parte é a elaboração do projeto. A conclusão do Plano estava prevista para outubro de 2020, mas devido a pandemia teve de ser adiada.  

Mobilidade Urbana no Brasil

A mobilidade urbana é um conceito bastante discutido nas políticas públicas que envolvem o planejamento das cidades. Trata-se do modo como a população urbana se locomove pelos espaços geográficos urbanos, além de interferir diretamente no bem-estar social da população.

No Brasil, a mobilidade urbana enfrenta grandes problemas. O crescimento da população, principalmente nos grandes centros urbanos, ocasionou o aumento de veículos individuais, somado a isso, o desenvolvimento dos transportes coletivos, nos últimos anos, foi menor que o esperado. Na grande São Paulo, por exemplo, aproximadamente 5 milhões de pessoas viajam de ônibus todos os dias, enquanto 4 milhões utilizam o metrô para se locomoverem, e veículos privados já somam 7 milhões.

Adotar alternativas de desenvolvimeno sustentável é o caminho para melhorias na mobilidade urbana. Incentivo ao uso de diversos transportes (ônibus, bicicleta, motocicletas) e às caronas coletivas, melhorias nos transportes público, construção de ciclovias e ciclofaixas, além da integração de meios de transporte através de bilhetes únicos são algumas medidas que podem ser tomadas para melhorar o tráfego nas cidades.